Seja verde!

Já quase desisti. Já quase mudei de idéia. Nem quis mais saber de eleição. Estava triste e desamparado com o rumo das coisas. Até porque da minha janela, nos últimos dias, passei a ter acesso a mais detalhes na paisagem que avisto. São uns detalhes pequeninos, vermelhinhos, que passam rápidos de uma lado para o outro. O rastro de luz chega antes do estampido seco que o segue. Sim, meus caros. Ando avistando traçantes! Ontem à noite vi três enquanto ajudava a preparar o jantar da família.

Por isso estou mais convencido ainda que precisamos fazer algo para mudar a cidade para melhor. É preciso ser verde. Verde como um marciano-imaginário [pois ninguém nunca viu um marciano]. Verde como um ecologista. Verde como a ética. Verde como o sonho, a saúde, os direitos humanos, a diversidade cultural e religiosa.

Seja verde!